sábado, 31 de outubro de 2009

Ensaio sobre a cegueira ( Brasil - Canadá - Japão, 2008, Fernando Meirelles)

Baseado no livro homônimo de José Saramago, dirigido por Fernando Meirelles, contando com atores de várias partes do mundo e rodado em Toronto, no Canadá, em São Paulo e Osasco, no Brasil, e em Montevidéu, no Uruguai, o filme "Ensaio sobre a cegueira" relê com maestria esta obra literária de um dos mestres da literatura contemporânea.

Trata-se de uma história que narra uma epidemia repentina e contagiosa de "cegueira branca" (uma superfície leitosa que cobre os olhos) em uma grande cidade que poderia ser qualquer metrópole do globo, causando pânico e caos. Sem dúvida, poderia ser um thriller, mas Saramago não permite que aconteça, e Meirelles tampouco. Como acontece freqüentemente na obra do autor, a cegueira não tem e não terá explicação - trata-se necessariamente de desvendar as metáforas. O que o romance e o filme narram são situações humanas, com todo o horror e beleza que lhes são intrínsecas. Uma única mulher com visão em um mundo de cegos suporta o fardo de todos os horrores e descobre a necessidade de saber enxergar quando ninguém mais tem olhos para ver.



Como toda adaptação, há algumas modificações: partes do livro que não estão no filme, cenas que não aconteceram no livro, cenas que fundem acontecimentos que no livro ocorriam em separado. Como toda tradução (mesmo que não interlingüística, e sim intersemiótica), há pontos em que se perde e pontos em que se ganha. Perdemos a narração única de Saramago, mas ganhamos com a plasticidade de poder sentir-se com os olhos inundados de leite como os personagens, entre outras coisas. O filme não é a obra de Saramago filmada: é obra própria, com vida e poeticidade específicas, mas que lembram sim a beleza da naração do livro. A fotografia é belíssima, a trilha sonora é extremamente adequada, os atores são ótimos, enfim... Fernando Meirelles foi muito feliz com essa adaptação. Tanto que agradou o próprio Saramago, que tanto relutou em ceder o livro para filmagem.



Ótimo filme, principalmente para quem precisa ver a poesia que resiste no ser humano, apesar de tudo e de todos.